Os 5 erros mais comuns das mães de primeira viagem

Todo mundo sabe que errar é humano, mas se pudermos evitar o erro com os nossos bebês é melhor, não é mesmo? Quando se tem um bebê a vida muda totalmente, são muitas coisas acontecendo e você pode ficar perdida com o que deve fazer. Mas calma, não existem regras pra tudo, você vai aprendendo aos poucos como cuidar do seu filhote, e logo entenderá todos os tipos de choro do bebê. Porém, existem alguns erros que sugiro que você evite: então vamos ver os 5 erros mais comuns de mães de primeira viagem.

Deixar de se cuidar

Claro que um bebezinho em casa toma muito do tempo dos pais e exige muita atenção (principalmente da mamãe). E por conta disso, e pelo cansaço, a vaidade vai ficando de lado. Mas por favor, cuide para que isso não aconteça!

Nos primeiros meses de vida do bebê vai ser extremamente raro ter uma noite de sono tranquila, ter tempo para tomar um bom banho ou mesmo ir até a manicure. Porém o bebê não fica 24 horas por dia acordado e os momentos de sono dele podem ser aproveitados para dar uma atenção para si própria.

Lembre-se que o bebê é novidade para todos e com certeza seu marido poderá colaborar  para que você possa fazer uma make, uma escova no cabelo, cortar as unhas, fazer uma caminhada, etc.
Cuide da boa forma, da boa alimentação (nada de dietas exageradas para não comprometer a amamentação) e principalmente de sua autoestima. Junto com o bebê nasce uma mãe, mas não morre uma mulher!

Exagerar nos enfeites do quarto

Uma das coisas mais gostosas da gestação é preparar o ninho para receber o bebê. As mamães geralmente passam horas e horas pesquisando, olhando revistas, internet, etc. Mas o exagero não é nada legal.

Além de poluir demais o ambiente visual do bebê, muitas cores podem estimular demais o seu pequeno e dificultar que ele relaxe. As vezes um bebê acorda no berço e volta a dormir sozinho, porém quando encontra um universo colorido a sua volta ele se agita e não consegue deixar de prestar atenção.

Um excesso de coisas dentro e fora do berço também é perigoso por aumentar o risco de sufocamento nos bebês. Almofadas, bichos de pelúcia, protetores de berço e edredons são leves e o bebê pode puxar para cima do rostinho e depois não conseguir tirar, portanto evite.

Um ambiente mais claro, com poucas coisas e enfeites, além de facilitar a limpeza, diminuir o acúmulo de poeira e a proliferação de ácaros, ainda torna o espaço mais aconchegante.
E claro, os papais irão adorar a economia!

Amamentar só para matar a fome

Os bebês não choram só de fome. Eles tem apenas o choro para se expressar e até que você consiga diferenciar os tipos de choro vale usar o peito como seu aliado.

Se o bebê estiver chorando em seguida da mamada ou muito próximo do horário de mamar, pode ser que ele esteja com sede, com sono, com calor, com frio, com saudade, com medo, com solidão, etc.
Como saber então? Primeiro tente eliminar as possíveis causas do choro, como verificando a fralda, ver se ele está suado demais no pescocinho (isso pode ser calor), se está com a barriguinha fria (isto pode ser frio) ou tentar niná-lo no colo (pode ser saudade!)

Isso mesmo. Pense bem: vocês passaram 9 meses juntos, ele estava dentro de você, ouvia a sua voz, sabia que estava ali seguro. Agora ele mama e vai para o berço, grande, vazio, sem você. É normal que ele estranhe isso no começo e “peça” através do choro para ficar pertinho de você.

Estipular horários

Já vi mães que deixavam seus bebês chorarem no “bebê conforto” por até uma hora ou até dormirem (creio eu de exaustão) simplesmente porque não estava na hora da mamada.
Isso é triste! Bebês não tem relógio. Não são reguláveis. Não seguem uma dieta de se alimentar de três em três horas.

Então não adianta criar um sofrimento desnecessário para que seu bebê se acostume com isso. Após alguns meses de choradeira o bebê vai começar a mamar de três em três horas, mas não foi porque você o deixou chorando e sim porque isso iria mesmo acontecer. Então evite o estresse!

Alimente-o em livre demanda. Deixe o bebê mamar, conhecer o mundo através de você, do seu toque, do seu cheiro, de sua voz. O colo da mãe transmite segurança, fortalece os laços entre os dois, aumenta a autoestima da criança porque ela se sente amada desde que nasce.
Infelizmente ainda existem pediatras que orientam as mães assim: “Deixe chorar!”, “Não dê o colo”! Querida mamãe, não faça isso! O colo vai durar apenas alguns anos, três mais ou menos, e depois disso você só terá a saudade dos bracinhos do seu bebê em volta de seu pescoço e a certeza de que amou na medida certa!

Estabelecer comparações

Quando se reúnem as mamães na antessala do consultório do pediatra ou ainda aquela reunião de amigas, ou com seus pequenos no parque, é natural que as conversas girem em torno do que os bebês andam fazendo.

Com isso é extremamente comum que as mamães estabeleçam comparações e com isso algumas passam a duvidar do desenvolvimento de seus filhos. Mas acalme-se! Só porque o filho do vizinho do tio do porteiro do seu prédio já engatinha com 6 meses e o seu ainda não senta sozinho não quer dizer que há algo errado com seu bebê. Cada criança tem o seu ritmo de desenvolvimento e isto deve ser acompanhado pelo pediatra. Ele vai poder dizer se algo está fora da normalidade!
No mais, respeite o tempo do seu filho! Ele é único!

Compartilhe!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *